SIGA-NOS

Observador: “A mudança de fotografia do Inter”

vinheta-observador

A nova direção do Inter, comandada pelo presidente Marcelo Medeiros, definiu um dos seus principais objetivos e parece estar cumprindo ele a risca: a mudança de fotografia do elenco rebaixado para a Série B do Campeonato Brasileiro em 2016. Mesmo que alguns nomes marcados pela queda como Ernando e Paulão permaneçam, boa parte desse objetivo está sendo cumprido, já que muitas saídas já foram confirmadas neste começo de ano.

Entre vendas, empréstimos e fins de contrato, mais de um time inteiro já foi liberado pelo Inter. E, neste ponto, talvez esteja um dos pontos mais positivos do Inter neste começo de ano. Somando a saída de jogadores que fracassaram em 2016, com a chegada de D’Alessandro e outros jogadores experientes como Uendel, Carlinhos, Victor Cuesta e etc, o grupo é outro. O time está mostrando que tem poder de reação, indignação e que não se abaterá facilmente, nem mesmo em momentos de grandes adversidades na partida, como vimos no Gre-Nal 412 na Arena.

Dos considerados titular em 2016, já saíram: o meio-campista Alex, que entrou em comum acordo com a direção para uma rescisão de contrato, o lateral-esquerdo Geferson, emprestado ao Vitória e Artur, repassado para a Ponte Preta, que revezaram a titularidade nessa função, o atacante Vitinho, que retornou ao CSKA, da Rússia e o volante Fernando Bob, que voltou para Ponte Preta, na troca pela chegada de William Pottker.

LEIA MAIS

Novidades da Suíça quanto ao “Caso Victor Ramos”
Com lesão muscular, Inter terá desfalque importante por um mês
Novo camisa 15, Victor Cuesta se diz empolgado com o projeto do Inter

Além deles, o zagueiro Alan Costa (Vitória), Anderson (Coritiba), Leandro Almeida (Figueirense), Ariel (Barcelona/EQU), Jacsson (Santa Cruz), Aylon (Goiás), Mike (América/MG) e Marquinhos (Sport), foram as outras saídas do Inter. Fazendo que a folha salarial fosse aliviada para a chegada de outros reforços, que estão sem o peso do rebaixamento e possuem, em praticamente todos os casos, mais qualidade técnica do que os outros que deixaram o clube.

Ainda é cedo para afirmar, mas o Inter tem feito grandes acertos neste começo de ano. Além da mudança de fotografia, com a saída de jogadores que não deram resultado, o Inter buscou bons nomes no mercado e que vem dando resposta, já que na grande maioria dos casos, ainda precisam provar algo. Além disso, ao que tudo indica, também acertou em cheio na contratação do treinador. Por mais que o começo tenha sido ruim, Antônio Carlos Zago, com o tempo para trabalhar, tem se mostrado capacitado e, em poucos meses, conseguiu montar um time sem legado nenhum, já que o Inter não teve comando técnico na última temporada.

 

 

Todo conteúdo postado nas editorias é independente e de responsabilidade dos seus criadores. Não expressando, necessariamente, a opinião dos responsáveis pelo site .

Copyright © 2016 Inferno Meu Destino