SIGA-NOS

Observador: “Impressões do time do Inter no empate em jogo-treino”

vinheta-observador

O técnico Antônio Carlos Zago, pela primeira vez desde que chegou, pode mostrar sua ideia de time para 2017. Em jogo-treino em Viamão, diante do Inter de Lages, o Inter mostrou um desenho do que deve aparecer já nas primeiras rodadas do Gauchão e da Primeira Liga que começam na semana que vem. Mesmo com o empate em 0 a 0, algumas coisas puderam ser percebidas, principalmente, as carências que o grupo do Inter ainda possui, mesmo com uma significativa mudança de fotografia após a queda para a Série B em 2016.

No primeiro tempo, Zago colocou em campo o que considera a defesa titular, mas com o ataque reserva. Do meio para trás: Danilo Fernandes, Ceará, Ernando, Neris e Uendel, além dos volantes Rodrigo Dourado e Eduardo Henrique. Neste tempo, foi possível perceber que os volantes desciam constantemente para a linha dos zagueiros para buscar o jogo e ajudar na saída de bola, sempre com troca de passes e sem balão. Porém, o rendimento não foi bom. Além de não assustar o gol dos catarinenses, Danilo Fernandes teve que praticar duas boas defesas (uma no ângulo), após duas falhas do recém-chegado Neris, em saída de bola. Outra constante desse time foi o uso das laterais do campo. Ceará, por exemplo, foi o jogador mais acionado no primeiro tempo do confronto.

O time no primeiro tempo teve: Danilo Fernandes; Ceará, Neris, Ernando e Uendel; Rodrigo Dourado, Eduardo Henrique, Gustavo Ferrareis, Andrigo e Nico López; Aylon (Brenner).

LEIA MAIS

Com time misto, Inter empata com o Inter de Lages
Inter oficializa chegada do lateral-direito Alemão
O dia que D’Alessandro conquistou a medalha de ouro nas Olimpíadas

No segundo tempo, todo o time foi alterado. Foi possível ver, pela primeira vez, a parceria entre D’Alessandro e Seijas no meio-campo. O camisa 10 está jogando em uma função mais adiantada, quase como um segundo atacante, atrás de Roberson, que foi o escolhido como referência por Zago. Seijas, caiu mais pela ponta-esquerda e Diego, promessa da base, apareceu pela direita. O time começou  a pressionar mais e colocou o Inter de Lages atrás da linha do meio-campo, mas não conseguiu finalizar muito. As principais chances saíram de um cruzamento rasteiro de Junio e de chutes de média-distância de Charles e Diego, além de uma cabeçada de Anselmo.

O time do segundo tempo teve: Marcelo Lomba; Charles, Léo Ortiz, Eduardo e Artur; Fernando Bob, Anselmo (Junio), Seijas, D’Alessandro e Diego; Roberson.

Porém, é perceptível a melhoria do time com D’Ale. O argentino busca o jogo o tempo todo, com passes, lançamentos, além de orientar o time o tempo todo, desde o sistema defensivo até os atacantes. No sistema defensivo, também não me parece haver dúvidas. O zagueiro Eduardo, que não teve muitas chances em 2016, é o melhor zagueiro do grupo neste momento. O defensor reúne imposição física, velocidade e boa saída de bola. Além disso, também foi possível perceber as carências do elenco. O departamento de futebol precisa olhar para o mercado na busca de mais um zagueiro afirmado, um “segundo volante”, um meio-campista e dois atacantes, para que o grupo fique completo e com boas opções para Antônio Carlos Zago comandar o acesso do Inter para a Série A sem traumas.

Também é preciso dizer que Alemão, lateral-direito contratado junto ao Bragantino e Valdívia, que se recupera de lesão, não estiver disponíveis para o teste. Além disso, o recém-chegado Klaus ficou entre os reservas, mas não foi utilizado durante a partida.

 

 

 

 

Todo conteúdo postado nas editorias é independente e de responsabilidade dos seus criadores. Não expressando, necessariamente, a opinião dos responsáveis pelo site .

Copyright © 2016 Inferno Meu Destino